Saúde pública e entidades médicas

Vivemos na última eleição um momento de grande turbulência política. A polarização política e a paixão que tomou conta de nosso país foi evidente e foi causa de grande tensão. Tal situação atingiu amigos, famílias e grupos de toda ordem. A Associação Paulista de Medicina de Indaiatuba, bem como todas as entidades médicas, não abandonaram sua principal missão e objetivo estatutário, qual seja a defesa da profissão médica e da saúde da população.

Todos temos nossas convicções individuais, seja em termos de política, religião ou filosofia de vida. Nossa associação, entretanto, segue sendo apartidária e não pode assumir qualquer posicionamento na defesa de qualquer partido ou grupo político ideológico.
As entidades médicas seguem na defesa da valorização do trabalho do médico, seja no setor público, privado ou na saúde suplementar.
Continuaremos lutando e defendendo a valorização da formação médica que permita o exercício da profissão em conformidade com o conhecimento médico estabelecido, dito popularmente “ciência”.

As entidades médicas defendem o reconhecimento do ato médico, o qual deve ser realizado em sintonia com uma formação médica adequada e
razoável, que permita o médico atender as reais necessidades de nossa população. Nesse sentido, somos contrários à abertura indiscriminada de faculdades de medicina, muitas das quais sem as qualificações necessárias à formação do médico.

Vivemos momentos difíceis no enfrentamento da pandemia COVID 19. A APM de Indaiatuba não se furtou às suas responsabilidades e defendeu junto à Secretaria Municipal de Saúde de Indaiatuba, as medidas necessáriaspara a proteção de nossa população. Nesse sentido, fomos ouvidos e
atendidos em nossas recomendações pela administração municipal.

Não importa quem sejam os eleitos e autoridades sanitárias, continuaremos contribuindo com o melhor do conhecimento médico na defesa da saúde pública.

Francisco Ruiz – Presidente da APM Indaiatuba

Compartilhar:

Outros Artigos:

A corrente culturalista da psicanálise

A Psicanálise Culturalista surgiu como uma posição contraposta à Psicanálise Freudiana, entendida esta por alguns psicanalistas como um “modelo biológico e genético” e deficiente na