Fevereiro laranja – Leucemias

Como forma de alerta, aderimos também à campanha “Fevereiro Laranja” a fim de destacar a importância que esta data representa: o mês de combate a leucemia. A doença se inicia na medula óssea, onde o sangue é produzido e, por isso, a doação de medula aparece também como uma saída
primordial para tratamentos mais delicados. E é para evitar surpresas desagradáveis que é mais do que necessário fazer os exames de rotina, assim, você pode constatar se há ou não, alterações no seu sangue.

A leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos, geralmente de origem desconhecida. Tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais por parada de maturação celular (Agudas) ou por proliferação de determinadas células (Crônicas).

Sinais e Sintomas
Os principais sinais e sintomas são: anemia, fraqueza, cansaço, sangramento sem causa definida, manchas roxas (equimoses) sem traumas, palidez, febre inesperada, sudorese noturna, infecções de repetição sem causa aparente, dores nos ossos e nas articulações e gânglios aumentados.

Tratamento
A intenção do tratamento é erradicar a produção de células cancerígenas e retomar a produção de células sadias. A medicação adotada é a quimioterapia que proporciona um controle de infecções, de hemorragias e um foco maior no cuidado da doença no Sistema Nervoso Central (cérebro e medula espinhal). Com a doença controlada, é recomendado o transplante de medula.

Como se tonar um doador de Medula
– Procure o hemocentro do seu estado e agende uma consulta de esclarecimento ou palestra sobre doação de medula óssea.
– O voluntário à doação irá assinar um termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), e preencher uma ficha com informações
pessoais. Será retirada uma pequena quantidade de sangue (10ml) do candidato a doador. É necessário apresentar o documento de identidade.
– O seu sangue será analisado por um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que vão ser cruzadas com
os dados de pacientes que necessitam de transplantes para determinar a compatibilidade.
– Os seus dados pessoais e o tipo de HLA serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).
– Quando houver um paciente com possível compatibilidade, você será consultado para decidir quanto à doação. Por este motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados.
– Para seguir com o processo de doação serão necessários outros exames para confirmar a compatibilidade e uma avaliação clínica
de saúde.
– Somente após todas estas etapas concluídas o doador poderá ser considerado apto e realizar a doação.

Dr. Fábio de Oliveira Martin – MD; PHD – Hematologista – CRM 105.791 RQE 34.612 – Clínica Integrada

Compartilhar:

Outros Artigos: