Doença inflamatória intestinal – Maio Roxo

A doença inflamatória intestinal, que abrange a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa, é um quadro recidivante caracterizado pela inflamação crônica em vários locais do trato gastrointestinal, que resulta em diarreia e dor abdominal.

A inflamação resulta de resposta imune celular na mucosa gastrointestinal. A etiologia precisa da doença inflamatória intestinal é desconhecida, mas evidências sugerem que a flora intestinal normal desencadeia inapropriadamente uma reação imune em pacientes com predisposição genética multifatorial (talvez envolvendo barreiras epiteliais anormais e defesas imunitárias da mucosa). Não se identificou qualquer fator dietético, ambiental ou infeccioso.

A doença inflamatória intestinal (DII) afeta pessoas de todas as idades, mas geralmente começa antes dos 30 anos, com pico de incidência dos 14 aos 24 anos. A DII pode apresentar outro pico menor aos 50 e 70 anos de idade; entretanto, esse pico tardio pode incluir alguns casos de colite isquêmica. Ambos os sexos são igualmente afetados. Parentes de primeiro grau dos pacientes com DII têm um risco 4 a 20 vezes maior; seu risco absoluto pode chegar a 7%. O tabagismo parece contribuir para o desenvolvimento e a exacerbação da doença de Crohn, mas diminui o risco de colite ulcerativa. Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) podem exacerbar a DII.

O tratamento é feito com cuidados de suporte e medicamentos (Ácido 5-aminossalicílico, corticoides, imunomoduladores, agentes biológicos, agentes com pequenas moléculas e antibióticos). Já os cuidados de suporte abrangem dieta e controle do estresse.

Em qualquer tipo de sintoma gastrointestinal, sempre recomendamos procurar atendimento médico com o especialista, que fará a investigação diagnostica com os exames complementares adequados e o seguimento do tratamento.

As doenças podem ser muito semelhantes, porém existem algumas diferenças que auxiliam e guiam o diagnóstico:

DOENÇA DE CROHNRETOCOLITE ULCERATIVA
Intestino delgado envolvido em 80% das vezesDoença é confinada ao colo
O reto é geralmente poupado; o envolvimento colônico é geralmente do lado direitoO reto é invariavelmente acometido; o envolvimento colônico é geralmente no lado esquerdo
Sangramento retal intenso é raroSangramento retal significativo está sempre presente
Fístulas, massas e abscessos são comunsNão ocorrem fístulas
Lesões perianais são significativas em 25 a 35% dos casosNunca ocorrem lesões perianais significativas
Em radiografias, a parede intestinal é afetada assimetricamente e de maneira segmentar, com áreas poupadas entre os segmentos afetadosA parede intestinal é afetada simétrica e continuamente do reto proximal
A aparência endoscópica é irregular, com ulcerações discretas separadas por segmentos de mucosa com aparência normalA inflamação é uniforme e difusa
A inflamação microscópica e fissuras se estendem transmuralmente; a distribuição da lesões costuma ser altamente focalA inflamação é restrita à mucosa, exceto em casos graves
Granulomas epitelioides (tipo de sarcoidose) são detectados na parede intestinal ou linfonodos em 25 a 50% dos casos (patognomônicos)Não ocorrem granulomas epiteliais típicos

Compartilhar:

Outros Artigos:

Uma Janela para o Infinito

Startup, Aplicação, Telemedicina, Robótica, Inteligência Artificial, Engenharia de Dados, Algoritmos… Essas expressões, cada vez mais, permeiam as conversas e as rotinas do profissional de saúde

Um olhar no retrovisor

Não há quem discorde do entendimento de que a saúde é o bem mais valioso de nossaexistência, como indivíduo e enquanto Estado.No entanto, só para