Dia das Mulheres

Dia daquela que sempre tenta dar conta de tudo. De todos. O tempo todo. Todos os dias, nos nossos consultórios, escutamos dezenas de mulheres que dividem conosco um pouquinho desta arte de orquestrar as suas vidas de forma a dar suporte para as vidas de todos os outros.
Sejam companheiros ou companheiras, filhos, pais, sobrinhos, alunos, clientes, pacientes… sempre há, no topo das prioridades, a preocupação com outras pessoas. Nessa lista de prioridades, normalmente, elas sempre se colocam nas últimas posições. E isso é uma coisa que dói aos nossos ouvidos.
A jornada dupla ou tripla que as mulheres enfrentam hoje, por diversas vezes as afastam até mesmo dos seus cuidados básicos de saúde e autocuidado. Pergunte a qualquer paciente com exames de rotina atrasados! O maior motivo para não estarem com consultas em dia é priorizar o cuidado com outra pessoa que, naquele momento, precisava mais da sua atenção.

É um dever do profissional de saúde ter um olhar especial para estas mulheres, que fazem todas as engrenagens de seus lares e de seus empregos funcionarem adequadamente. Devemos identificar, através de anamnese e escuta qualificadas, situações em que a saúde da mulher esteja sendo afetada por esta sobrecarga. De forma empática,
devemos alertar sobre as consequências do sedentarismo, da falta de adesão aos acompanhamentos necessários para a manutenção da sua integridade. Não pode ser esquecida a questão da saúde mental, parte definitiva do conceito de saúde como um todo.

Neste dia da mulher, convido meus colegas a ouvirem, com um pouco mais de atenção, as questões relacionadas ao esgotamento. Inúmeros diagnósticos que fazemos devem incluir, em seus tratamentos propostos, uma abordagem mais global e individual de cada mulher que está na nossa frente. Para que ela tenha a orientação necessária para equilibrar as obrigações diárias de cada uma, com a rotina de cuidados que cada uma precisa para continuar dando conta de tudo que necessita.

Dra. Monica Machado Martin | Ginecologista e Obstetra – CRM 109.751 RQE 103.236 TEGO 0675/2005 | @dramonicamartin

Compartilhar:

Outros Artigos:

Karen Horney e o caráter neurótico

Karen Horney e Erich Fromm foram psicanalistas que tiveram a ousadia de desafiar os princípios da psicanálise freudiana e enfatizar a importância de fatores culturais

Educação Médica Continuada

A formação médica continua sendo um grande problema para a saúde pública em nosso país.Abertura indiscriminada de faculdades de medicina e formação acadêmica deficitária representam

Dicas de Cinema: Pinocchio

Um personagem incrível, universalmente conhecido, vivendo aventuras fantásticas, nasceu da pena do escritor italiano Carlo Collodi, no final do século XIX: Pinocchio. O boneco de