AMAMENTAÇÃO IMEDIATA APÓS O PARTO: Vantagens para a Mãe e o Bebê

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é clara: o melhor alimento para o bebê é o leite materno, e a orientação é que ele seja o alimento exclusivo até os seis meses de vida do bebê.

O vínculo mãe-bebê é fortalecido no momento da amamentação, pois a primeira relação social do bebê seria com a figura da mãe, representada pelo seio materno. O leite, o calor e o contato com o corpo da mãe, seu cheiro e o som dos batimentos cardíacos o instigam. É assim que ele descobre o mundo e começa a ter consciência de si mesmo. O prazer proporcionado pelo ato de sugar e o amparo da mãe fazem com que o bebê se sinta acolhido e seguro.

Quem vê a mulher amamentando tranquilamente seu bebê não imagina que oferecer o seio ao filho pode causar certos desconfortos, que geram dor e ansiedade. A apojadura, que é o preparo da mama para o início da produção do leite, é um desses desconfortos e nem sempre é fácil. Por isso, com o objetivo de tornar essa primeira experiência da mãe com seu bebê mais prazerosa, é que se recomenda o contato pele a pele na primeira hora pós-parto, visto que não somente se inicia a prática alimentar do bebê, mas também se estabelece o vínculo afetivo entre mãe e filho, essencial para o desenvolvimento socioafetivo da criança.

O primeiro leite que sai, pós apojadura, é chamado de colostro e tem o papel principal de proteção do recém-nascido, pois contêm vários anticorpos, sendo conhecido como a primeira vacina. Essas características permanecem até o 7º dia pós-parto. A amamentação imediatamente após o parto, se possível, deve ser encorajada e estimulada.

Fonte: Fiocruz

Compartilhar:

Outros Artigos:

VARÍOLA DOS MACACOS

Relatos de casos de Varíola dos macacos em nossa região. Vamos pegar?“Estamos vacinados!” Sério? Já olhou sua carteira de vacinação e a dos seus filhos?