× Home Diretoria APM News Eventos e Congressos Classificados Clube de Benefícios Área do Associado Associe-se Publicidade Localização Fale Conosco
Indaiatuba, 22 de Setembro de 2020
Dúvidas? Entre em contato: (19) 3875-7200
Publicado em 18/09/2020 às 09:28:00
Por: Dr. Eduardo Pereira dos Santos - Gastroenterologia e Nutrologia
Categoria: Notícia em Destaque
Balão Intragástrico - Sistemas de 6 meses e 1 ano


O balão intragástrico é um dispositivo inserido e removido por endoscopia que fica alojado no estômago por um período de 6 a 12 meses. Nesse tempo, o (a) paciente sente-se com mais saciedade e, segundo estudos, chega a perder em um curto espaço de tempo, até 13% em média (entre 8-15%), do peso total ou até 26-31% em média, do excesso de peso. Mais importante ainda, os estudos mostram que, em média, a maior parte do peso perdido se mantém 6 meses após a retirada do balão.
É importante saber que não é possível afirmar quanto peso você irá perder caso use o balão intragástrico. As informações fornecidas previamente são baseadas em estudos científicos. Para uma melhor perda de peso, é imprescindível se alimentar adequadamente e praticar exercícios físicos.

O QUE DIZEM AS ENTIDADES MÉDICAS?
“O aumento mundial dos problemas e doenças associadas à obesidade criaram a necessidade urgente de se avaliar o uso de métodos alternativos para perda de peso, em relação à cirurgia, medicamentos e à orientação de dieta e atividade física. Terapias endoscópicas oferecem opções efetivas e minimamente invasivas para tratar a obesidade”. Fonte: The American Society for Gastrointestinal Endoscopy (ASGE), doi: 10.1016/j.gie.2015.03.1964.

QUEM PODE USAR O BALÃO INTRAGÁSTRICO?
Pacientes adultos com índice de massa corpórea (IMC) maior que 27 kg/m2, que não apresentem nenhuma das seguintes contraindicações: Passado de cirurgia no estômago, distúrbio da coagulação, lesões atuais no aparelho digestivo que apresentem sangramento, gravidez ou desejo de engravidar, alcoolismo ou abuso de drogas (medicamentos ou drogas ilícitas), doença hepática importante, hérnia hiatal grande, ser portador de doença inflamatória intestinal (Doença de Crohn ou Retocolite ulcerativa), problemas psiquiátricos não controlados, uso crônico de antiinflamatórios (inclusive aspirina ou AAS) e contraindicação à endoscopia.

HÁ ALGUM RISCO OU SINTOMAS COM O USO DO BALÃO INTRAGÁSTRICO?
Sim. De acordo com a literatura científica, complicações graves são raras, mas existem sintomas que ocorrem com maior frequência, como dor, náusea e refluxo, principalmente nas primeiras semanas. Apesar disso, na grande maioria dos casos (em mais de 90%), os pacientes toleram o balão até o prazo limite para sua retirada.