× Home Diretoria APM News Eventos e Congressos Classificados Clube de Benefícios Área do Associado Associe-se Publicidade Localização Fale Conosco
Indaiatuba, 17 de Novembro de 2019
Dúvidas? Entre em contato: (19) 3875-7200
Publicado em 21/10/2019 às 05:00:00
Por: Dr. Francisco Carlos Ruiz - Presidente
Categoria: Notícia em Destaque
Ameaças constantes ao trabalho médico


Neste mês de outubro a APM Indaiatuba está lançando um “buscador médico” voltado exclusivamente para os médicos de Indaiatuba, com o objetivo de facilitar o acesso de pacientes aos consultórios médicos. Trata-se de um serviço extremamente importante para que pacientes tenham a possibilidade de encontrar os médicos de sua preferência por meio do nome, mesmo que incompleto, ou da especialidade, mesmo que não digitada integralmente. Trata-se de mais um serviço prestado aos colegas associados e que se soma a outros tantos promovidos por nossa Associação na tentativa de facilitar nossas tarefas.
O que é importante ressaltar neste momento é que nossa Associação está sempre aberta a novas ideias e projetos, desde que sejam realistas e pautados por princípios éticos de respeito aos profissionais médicos e aos nossos pacientes.
Vivemos um momento particularmente difícil na Medicina. A oferta de trabalho médico a preço vil, com as chamadas clínicas populares, além de outras propostas, como a proposta da telemedicina elaborada para favorecer grandes empresas e a concessão de registros para profissionais de formação duvidosa, são algumas das preocupações de toda a classe médica.
A ideia de que o mercado pode se regular de forma autônoma é uma falácia e representa grande risco para toda a sociedade. Países do primeiro mundo não adotam essa prática e não é necessário grandes reflexões para se entender suas consequências nefastas. Não se trata de uma mera questão ideológica do tipo capitalismo versus socialismo. A desvalorização do trabalho médico pode favorecer qualquer corrente ideológica, as quais, na verdade, representam sempre interesses de grupos e não o interesse de toda a coletividade. O melhor exemplo foi o programa “mais médicos”, que se utilizava de uma propaganda enganosa junto à população, a utilização de um trabalho praticamente escravo de mão de obra estrangeira e que visava o desvio de recursos públicos para países considerados importantes do ponto de vista ideológico.
Por tudo isso, precisamos estar vigilantes em relação a tentativas de utilizar o trabalho médico com finalidades políticas e estritamente comerciais, em prejuízo da sociedade e dos profissionais que se decidiram por construir uma carreira baseada em formação sólida e que promova o melhor que a ciência médica possa oferecer.