× Home Diretoria APM News Eventos e Congressos Classificados Clube de Benefícios Área do Associado Associe-se Publicidade Localização Fale Conosco
Indaiatuba, 02 de Dezembro de 2020
Dúvidas? Entre em contato: (19) 3875-7200
Publicado em 24/11/2020 às 09:00:00
Por: Dr. Francisco Carlos Ruiz - Presidente
Categoria: Notícia em Destaque
Desenvolvimento de vacinas e interferência política


Os recentes episódios envolvendo a paralisação das pesquisas da vacina Coronavac, demonstram a gravidade da crise ética e política que se abate sobre o país. As políticas públicas estão inevitavelmente relacionadas à política partidária e à forma como o poder estabelecido interfere em todos os setores da vida em sociedade. Isto ocorre em qualquer país do mundo, desenvolvido ou não. Entendemos, porém, que a partir do momento em que vieses ideológicos do poder passam a interferir em decisões técnicas na área da saúde, as Entidades Médicas não podem deixar de se manifestar e repudiar tais ingerências, posto que podem acarretar a perda de vidas em larga escala.
As vacinas contra o coronavirus e a proteção contra a Covid-19 estão sendo desenvolvidas em todo o mundo e por diversas instituições. Pesquisas são realizadas por institutos de pesquisas, universidades, governos e a iniciativa privada. Trata-se de um esforço de pesquisa nunca antes realizado em toda a história da saúde pública. Tal se deve às graves consequências da doença para grande número de pessoas infectadas, ainda que uma parcela consiga superar a infecção como apenas mais uma virose.
Além do sofrimento humano por doentes que apresentam graves complicações respiratórias e sequelas de toda ordem, há o sofrimento de inúmeras famílias que mal puderam velar seus mortos. Muitos desses mortos, importante dizer, pessoas absolutamente saudáveis e para as quais se esperava uma longa vida de realizações. Entre estes, muitos médicos e outros profissionais de saúde com uma longa história de serviços prestados em defesa da saúde de seus pacientes e diante da expectativa de continuar este trabalho por muitos anos.
Não bastasse o sofrimento humano diante da doença propriamente dita, tivemos uma crise econômica mundial. No caso do Brasil, o qual já vivia uma grave depressão econômica, tivemos o agravamento do desemprego e dificuldades econômicas, sobretudo pelos setores da sociedade menos favorecidos.
Diante desse cenário catastrófico, não se justifica o argumento de alguns de que outras vacinas levaram anos ou décadas para serem desenvolvidas e testadas. Não é preciso grandes conhecimentos ou reflexões para se perceber que a Covid-19 é uma doença sem precedentes na história da humanidade, quer por sua gravidade do ponto de vista clínico, quer por suas consequências sociais e econômicas. Da mesma forma, nunca se viu tão grande colaboração entre instituições públicas e privadas na busca de uma prevenção eficaz para uma doença.
Por tudo isso, repudiamos veementemente que interferências políticas e ideológicas venham prejudicar pesquisas em andamento, sobretudo diante de resultados preliminares surpreendentes em termos de segurança e eficácia. Medicamentos não podem estar envolvidos em preferências políticas ou bandeiras ideológicas de qualquer natureza. Nós médicos, não podemos aceitar que tal aconteça.